quarta-feira, 2 de outubro de 2013

(Grunge com Funk Rock ou Funk Rock com Grunge...? Tanto faz, fale com o chefão.) Big Chief.


Esse quarteto vindo de Ann Arbor, Michigan, se chama Big Chief. Formada pelo vocalista Barry Henssler (Ex-Necros), pelo baterista Mike Danner (Ex-Laughing Hyenas), pelo baixista Matt O'Brien, e pelos guitarristas Mark Dancey e Phil Durr, o Big Chief fazia um som híbrido do grunge e do funk rock, não muito de um e nem muito de outro. A banda estava muito a frente de seu tempo, pois muitas das bandas que seguiram o mesmo caminho em meados dos anos 90 deveriam ter dado crédito a essa banda.

A banda começou em 1989, por Henssler, Danner, O'Brien, Dancey e Durr na cena de Michigan, fazendo shows regulares. Aquilo já chamou logo de cara a atenção de diversas gravadoras, sendo a maioria delas, independentes, e uma delas foi a Sub Pop, cujo dono, Bruce Pavitt, ficou surpreso com o som do quinteto, pois ele já tinha conhecimento dos projetos anteriores dos integrantes.

Logo a Sub Pop ofereceu dinheiro para que o quinteto gravasse um single para o "Sub Pop's Singles Club". Usando a maior parte da grana para gravar músicas no estúdio e o restante para lançar mais singles para outras gravadoras, uma coletânea desses singles foi lançado pela Get Hip Recordings em 1991, chamado de Drive It Off.


Big Chief - Drive It Off (1991)
1. Brake Torque
2. Glare
3. Blowout Kit
4. Iron Pimp
5. Get Down And Double Check
6. Crackhore
7. Chrome Helmet
8. Built Like An Ordeal
9. Superstupid

Pegue aqui!

 A natureza grunge/funk da banda continuou através dos shows e dos seguintes lançamentos. Já contratados pela Sub Pop, os Big Chief lançam o primeiro álbum, Face, em 1992.


Big Chief - Face (1992)
1. Fresh Vines
2. Drive It Off
3. The Ballad Of Dylan Cahl
4. Desert Jam
5. Honey-Ledged
6. 500 Reasons
7. Reduced To Tears
8. Who's Gonna Do All That
9. Lie There And Be Good
10. Wasted On B.C.
11. (Fresh Flavor Remix)


Apesar da sonoridade suja da banda, parece que a mesma não conseguiu tanto sucesso, mesmo na onda do grunge devido ao fato de não serem de Seattle, Washington. Porém, a banda conseguiu entrar na estrada como a banda de abertura da turnê de divulgação do álbum "Check Your Head" dos Beastie Boys, particularmente nas regiões oeste e sul.

Enquanto isso, o grunge expandia ainda mais seu território e as grandes e pequenas gravadoras davam cada vez mais espaço as bandas que estavam começando nesse subgênero. Com o Big Chief não foi diferente, e foi nesse momento que a banda começou a compor e gravar o sucessor de Face. O resultado foi Mack Avenue Skull Game, lançado em 1993 pela Sub Pop.


Big Chief - Mack Avenue Skull Game (1993)
1. Skullgame No.3, Take 3
2. My Name Is Pimp (Mack's Theme)
3. Let's Do It Again
4. One Born Every Minute (Doc's Theme)
5. Sonica
6. No Free Love On This Street
7. Soul On A Role
8. 10 Krat Pinky King
9. Have Another Glass Of Brandy, Baby
10. Gaiety Lounge Punk
11. Cop Kisser (Mack Fucks Up The Scene At The Freezer)
12. If I Had A Nickel For Every Dime
13. Mixed Jive
14. He Needs To Be Dead/Ten Easy Pieces (The Power Of Ginsu)
15. Cut To The Chase
16. Meet The Man Day
17. O Woman (Mack's Lament)
18. Skullgame (Reprise)

Pegue aqui!

Considerado o melhor trabalho da banda, Mack Avenue Skull Game permitiu que a banda ganhasse um pouco mais de sucesso, participando de ainda mais turnês. Porém, o álbum sofreu com uma promoção precária da Sub Pop, fazendo com que a banda mudasse de gravadora, indo dessa vez para a Capitol Records. Através dela, a banda lançou seu último álbum de estúdio, Platinum Jive, em 1994.


Big Chief - Platinum Jive (1994)
 1. Lion's Mouth
2. Takeover Baby
3. John's Scared
4. M.D. 20/20
5. Map Of Your Failure
6. Bona Fide
7. Armed Love
8. Philly Nocturne
9. Locked Out
10. All Downhill From Here
11. The Liquor Talkin'
12. Sick To My Pants
13. Your Days Are Numbered
14. Clown Pimp
15. Simply Barry
16. Hot Lizard

Pegue aqui!

O som de Platinum Jive segue praticamente a mesma tendência de Mack Avenue Skull Game e apesar do álbum ter conseguido uma melhor promoção do que seu antecessor, a banda ainda sofria com a falta de promoção vinda da gravadora. A banda prosseguiu com os shows até 1996, ano em que a banda encerrou as atividades. Logo o quinteto resolveu trabalhar esporadicamente em um fanzine chamado "Motorbooty". Mark Dancey, um dos guitarristas do grupo, se tornou um designer gráfico, recebendo muito sucesso nas galerias de artes e em inúmeras revistas. O vocalista Barry Henssler se mudou pra Chicago, trabalhando em uma gravadora e ao mesmo tempo, como o DJ Chamberweed. Matt O'Brien, o baixista, se juntou a uma banda chamada Numbers. O baterista Mike Danner se tornou empresário de shows, ajudando a organizar festivais como o "St. Andrew's Fall", em Detroit. O outro guitarrista, Phil Durr, se tornou professor de línguas estrangeiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário