terça-feira, 22 de outubro de 2013

(Momento "Primeira Onda do Post-Grunge" Parte 4) Live.


Essa banda possui um nome bem simples: Live (As vezes digitado como LĪVE). Esse quarteto de York, Pennsylvania, foi formado em 1988 por Chad Gracey (Bateria), Patrick Dahlheimer (Baixo),  Chad Taylor (Guitarra) e Ed Kowalczyk (Vocalista). Essa banda, ao lado de outras do ramo como Candlebox, Bush, Silverchair e Foo Fighters, ajudaram a pavimentar o caminho para o post-grunge, gênero musical derivado do movimento grunge, para o sucesso no final dos anos 90 e o restante dos anos 2000. A banda possui diversos hits e é praticamente uma das bandas mais memoráveis dos anos 90, chegando a vender mais de 20 milhões de álbuns pelo mundo inteiro.

Tudo começou no ensino médio. Kowalczyk, Taylor, Gracey e Dahlheimer se juntaram para formar uma banda com o propósito de tocar no show de talentos da escola. Desde então, mantiveram-se juntos durante o colegial, tocando covers de bandas new wave sob nomes como "First Aid", "Club Fungus", "Paisley Blues", "Action Front" e "Body Odor Boys". Eventualmente eles decidiram usar o nome "Public Affection", e sob esse nome, gravaram e lançaram de forma independente seu primeiro álbum em 1989, contendo 10 faixas, intitulado The Death Of A Dictionary. Outro lançamento também foi feito em 1990, dessa vez sob a produção de Jay Healy: Um EP de 5 faixas chamado Divided Mind, Divided Planet.


Public Affection - The Death Of A Dictionary (1989)
1. Savior For A Day
2. Who Put The Fear In Here
3. Good Pain
4. Morning Humor
5. Paper Flowers
6. Hands Of The Teacher
7. Sister
8. Raising A Man
9. Libra
10. Ball And Chain



Public Affection - Divided Mind, Divided Planet (EP) (1990)
1. Pain Lies On The Riverside
2. Brothers Unaware
3. Water Song
4. Operation Spirit
5. 10,000 Years (Peace Is Now)


A banda logo passou a fazer concertos regulares no CBGB's de Nova York e em outros clubes e casas de shows nos EUA ao lado de bandas como Trip Shakespeare e até mesmo o Pixies, o que ajudou a banda a assinar um contrato com a Radioactive Records. Sob o novo nome "Live", a banda lança seu segundo EP, chamado de Four Songs, em Setembro de 1991, sob a produção de Jerry Harrison (Membro do Talking Heads).


Live - Four Songs (EP) (1991)
1. Operation Spirit
2. Good Pain
3. Heaven Wore A Shirt
4. Negation


Dentre mais alguns shows e o lançamento do single Operation Spirit (Presente no EP), a banda passou a ganhar ainda mais reconhecimento, numa época em que o rock alternativo estava ganhando ainda mais destaque. Operation Spirit ficou no n° 9 das paradas alternativas dos EUA. Logo a banda se sentiu eufórica para continuar o trabalho, dessa vez se focando em seu primeiro álbum completo sob o nome Live (E o segundo da carreira do quarteto). Novamente sob a produção de Jerry Harrison, o álbum Mental Jewelry foi lançado no final do ano de 1991 (31 de Dezembro) pela Radioactive.


Live - Mental Jewelry (1991)
1. Pain Lies On The Riverside
2. Operation Spirit (The Tyranny Of Tradition)
3. The Beauty Of Gray
4. Brothers Unaware
5. Tired Of "Me"
6. Mirror Song
7. Water Boy
8. Take Me Anthem
9. You Are The World
10. Good Pain
11. Mother Earth Is A Vicious Crowd
12. 10,000 Years (Peace Is Now)


A banda ganhou bastante reconhecimento, mas nada ainda muito suficiente na época, devido ao som embalado em temáticas indianas (Sendo a maioria delas inspiradas em escrituras do filósofo indiano Jiddu Krishnamurti) e sonoridade próxima do New Wave/Funk Rock, fazendo com que o álbum recebesse críticas mistas. Mas isso não impediu a banda de emplacar alguns singles, como Operation Spirit (The Tyranny Of Tradition) (Lançado antes do álbum), Pain Lies On The Riverside, The Beauty Of Gray e Mirror Song, além disso, a banda voltou a estrada, fazendo shows ao lado de bandas como Swervedriver, Poster Children e Public Image Ltd. Em 1992, a banda pisa pela primeira vez em terras europeias, que teve shows na Inglaterra e Alemanha. Logo depois, a banda passa a maior parte de 1992 na estrada, fazendo shows nos EUA e Canadá, junto de bandas como Dave Matthews Band, The Lemonheads e Digable Planets. Além disso, a banda apareceu diversas vezes no "MTV 120 Minutes" e fez uma aparição memorável nas edições de 1994 dos festivais Woodstock (Nos EUA, ao lado de bandas como Jackyl, Collective Soul, Blues Traveler, Candlebox, Violent Femmes e King's X) e Hollywood Rock (Esse no Brasil, ao lado de bandas como Aerosmith, Poison, Ugly Kid Joe, Sepultura, Skank e Robert Plant). (Nota do autor: Fiz um bootleg de uma das apresentações do Hollywood Rock, que se chama simplesmente de Live² At Hollywood Rock).


Live - Live² At Hollywood Rock (1994)
1. Waterboy
2. Stage
3. Selling The Drama
4. Pain Lies On The Riverside
5. The Beauty Of Gray
6. The Mirror Song
7. You Are The World
8. I Alone
9. Operation Spirit
10. White, Discussion


 Enquanto isso, entre Julho e Setembro de 1993, a banda começou a trabalhar no sucessor de Mental Jewelry. Aproveitando para produzir novamente com Jerry Harrison no Pachyderm Recording Studio de Cannon Falls, Minnesota, o álbum Throwing Copper só foi lançado em Abril de 1994 pela Radioactive.


Live - Throwing Copper (1994)
1. The Dam At Otter Creek
2. Selling The Drama
3. I Alone
4. Iris
5. Lightning Crashes
6. Top
7. All Over You
8. Shit Towne
9. T.B.D.
10. Stage
11. Waitress
12. Pillar Of Davidson
13. White, Discussion
14. Horse (Hidden Track)


Com Throwing Copper, a banda se distanciou e muito da sonoridade new wave/funk rock de Mental Jewelry, indo para uma direção semelhante ao das bandas grunge de Seattle, Washington (Certamente rotulado como post-grunge) com toques de hard rock. O álbum foi aclamado pela crítica, e levou a banda ao estrelato, chegando ao n° 1 das paradas da Billboard 200, graças aos singles I Alone, All Over You, White, Discussion e principalmente, os singles Selling The Drama e Lightning Crashes. Selling The Drama se tornou um hit das paradas de modern rock, no n° 1, enquanto que Lightning Crashes conquistou o mesmo feito, mas também ficando no n° 1 da "Billboard Hot Mainstream Rock Tracks". O sucesso estrondoso dos singles levaram Throwing Copper a ficar no n° 1 das paradas de álbuns da Billboard 200 por incríveis 52 semanas seguidas. A turnê contou com a banda entrando na turnê "WOMAD" (Que contava com Peter Gabriel, Arrested Development, Midnight Oil, dentre outras bandas), além de outros shows com bandas como Angelfish e Weezer e mais uma participação no KROQ Acoustic Christmas junto de bandas como The Cranberries e o próprio Weezer.

O ano de 1995 começou com a banda fazendo sua próxima turnê europeia, passando por países como França, Bélgica, Alemanha, Holanda, Áustria, Itália e Espanha. Logo a banda retorna aos EUA para outra nova turnê junto do Sponge e do Love Spit Love que se estenderia por uma boa parte daquele ano de 1995. Nesse mesmo ano a banda participa do memorável MTV Unplugged daquele mesmo ano de 95. (Nota do autor: Há vários bootlegs dessa apresentação circulando pela net, então, claro, resolvi upar aqui também no blog. Outro bootleg, chamado de Forever Alone, lançado pela Empire Records naquele mesmo ano, também estou disponibilizando aqui. E de brinde, um CD promo chamado Live (Promo CD For "Thunder" Magazine Number 12) também está sendo disponibilizado aqui.)


Live - MTV Unplugged (1995)
 1. Operation Spirit
2. Selling The Drama
3. All Over You
4. Beauty Of Gray
5. T.B.D.
6. I Alone
7. Supernatural (Vic Chesnutt Cover)
8. Lightning Crashes
9. White, Discussion



Live - Forever Alone (Bootleg) (1995)
1. Operation Spirit
2. Lightning Crashes
3. I Alone
4. All Over You
5. The Beauty Of Gray
6. T.B.D.
7. I Alone
8. Supernatural (Vic Chesnutt Cover)
9. Lightning Crashes
10. White, Discussion
11. Operation Spirit
12. All Over You
13. Stage
14. Lightning Crashes
15. I Alone

Pegue aqui!


Live - Live (Promo CD For "Thunder" Magazine Number 12) (1995)
 1. White, Discussion
2. Lightning Crashes (Live)
3. I Alone (Live)
4. Pain Lies On The Riverside
5. Operation Spirit (Live)
6. The Beauty Of Gray (Live)

Pegue aqui!

 Ainda em 1995, a banda participou do Livestock 5 (Junto de bandas como Toadies, Sponge, Hootie & The Blowfish, Dokken, Great White e Tesla). Seguido de mais shows na Europa e EUA, a banda logo volta ao estúdio em 1996 para produzir o próximo álbum. A expectativa era muito grande, já que o álbum novo seria o sucessor de Throwing Copper. Produzido em conjunto com Jay Healy (Que tinha produzido o EP Divided Mind, Divided Planet quando a banda se chamava "Public Affection"), o álbum Secret Samadhi foi lançado apenas em Fevereiro de 1997 pela Radioactive. (Nota do autor: A edição que tenho aqui é a limitada, com um cd bônus. Portanto, manda ver aí!)


Live - Secret Samadhi (1997)
CD 1:
1. Rattlesnake
2. Lakini's Juice
3. Graze
4. Century
5. Ghost
6. Unsheated
7. Insomnia And The Hole In The Universe
8. Turn My Head
9. Heropsychodreamer
10. Freaks
11. Merica
12. Gas Hed Goes West

CD 2:
1. Freaks (Radio Edit)
2. Lakini's Juice (Live)
3. Freaks (Live)
4. Love My Way (Live)
5. Lakini's Juice (Fall On Mix)

Pegue aqui!

O álbum foi novamente um sucesso enorme, ficando na 1° posição no ranking das paradas da Billboard 200, mas recebeu críticas um pouco mais frias comparado ao seu antecessor, Throwing Copper. Secret Samadhi produziu 4 singles: Lakini's Juice, Freaks, Turn My Head e Rattlesnake, que levaram o álbum a ganhar dois discos de platina em 1999. Para a nova turnê, a banda começou com shows em terras norte-americanas, tendo direito a uma breve passagem pelo Canadá e logo depois a banda parte pra Europa e meses depois, pra Oceania, onde a banda não teve muitas chances de fazer shows lá, começando pela Nova Zelândia e indo para a Austrália logo depois. Voltando a Europa, a banda participa do Glastonburry Festival ao lado de Radiohead, Smashing Pumpkins e Beck e voltando a América do Norte, o quarteto participa de uma edição do Saturday Night Live onde tocou duas músicas do CD: Lakini's Juice e Heropsychodreamer.

Após mais alguns shows com a banda Luscious Jackson de abertura, a banda termina o ano de 1997 com um megashow ao lado de bandas como Everclear, Third Eye Blind, Green Day, 311 e Sugar Ray, começando o ano de 1998 já com um show com Patti Smith, a participação do Tibetan Freedom Concert, ao lado de Red Hot Chili Peppers, Pearl Jam, Beastie Boys, Dave Matthews Band, Pulp e Radiohead, e o Bumbershoot Festival ao lado de Yo La Tengo, Fuel, Third Eye Blind e Jehtro Tull.

Logo 1999 chega, e a banda já estava preparada para mais um álbum de inéditas. Junto novamente de Jerry Harrison na produção, The Distance To Here foi lançado pela Radioactive em Outubro de 1999.


Live - The Distance To Here (1999)
1. The Dolphin's Cry
2. The Distance
3. Sparkle
4. Run To The Water
5. Sun
6. Voodoo Lady
7. Where Fishes Go
8. Face And Ghost (The Children's Song)
9. Feel The Quiet River Rage
10. Meltdown
11. They Stood Up For Love
12. We Walk In The Dream
13. Dance With You


O álbum recebeu críticas um pouco melhores que o anterior, e conseguiu gerar singles de grande sucesso como The Dolphin's Cry, Run To The Water e They Stood Up For Love, o que levou o álbum ao n° 4 das paradas da Billboard, vendendo na semana inicial de lançamento exatas 138.000 cópias. A turnê contou com a participação dos Counting Crows como banda de apoio, tanto que durante esses shows, o vocalista do Counting Crows, Adam Duritz, participava com Kowalczyk e cia. na música The Dolphin's Cry, já Ed, participava com os Crows na música "Hanginaround".

A turnê prosseguiu com uma apresentação da banda no Radio 104 Big Ass Barbeque, junto do Silverchair, Fuel, Local H e Sponge. Em Julho, a banda participou da última e mais polêmica edição do Woodstock, tocando no mesmo dia de Red Hot Chili Peppers, Muse, Metallica, Rage Against The Machine, Moby, Offspring, Dave Matthews Band e Korn.

Logo a banda gastou o restante do ano de 1999 na estrada, tocando até mesmo em cidades do México, onde a banda nunca tinha posto os pés. No final do ano, a banda partiu pra Europa pra mais uma nova série de shows junto com o Muse. Em 2000, novas datas nos EUA e Canadá foram anunciadas e que contaria com bandas de suporte como Jimmie's Chicken Shack, I Mother Earth, Sugar Ray, Tracy Bonham e Local H. (Nota do autor: Olha aí mais um bootleg contendo músicas ao vivo dessa turnê, chamado de The Distance To Den Haag.)


Live - The Distance To Den Haag (Bootleg) (1999)
1. Where Fishes Go
2. Operation Spirit
3. All Over You
4. Selling The Drama
5. The Distance
6. Shit Towne
7. Sparkle
8. Pillar Of Davidson
9. The Dolphin's Cry
10. Lakini's Juice
11. Imagine (John Lennon Cover)
12. Run To The Water
13. Dance With You
14. They Stood Up For Love
15. I Alone


As turnês prosseguiram até 2001, onde a banda começou a produzir o álbum seguinte. A banda, originalmente, queria lançar uma coletânea de sobras de estúdio chamado de "Ecstatic Fanatic" de graça para os fãs, mas a MCA, dona da Radioactive, interveio quando descobriu, pressionando a banda para que lançasse esse material em um novo álbum de estúdio.Então, decididos a sair do padrão "Jerry Harrison/Jay Healy", a banda decidiu trabalhar com Alain Johannes (Ex-guitarrista do Eleven) e o resultado foi V, lançado em Setembro de 2001 pela Radioactive.


Live - V (2001)
1. Intro
2. Simple Creed
3. Deep Enough
4. Like A Soldier
5. People Like You
6. Transmit Your Love
7. Forever May Not Be Long Enough
8. Call Me A Fool
9. Flow
10. The Ride
11. Nobody Knows
12. OK?
13. Overcome
14. Hero Of Love
15. Deep Enough (Remix)


O som experimental de V deixou a crítica bastante dividida, com a maioria sendo positiva. A banda lançou através desse álbum a quantidade de 5 singles: Deep Enough, Simple Creed, Overcome, Like A Soldier e Forever May Not Be Long Enough. A banda e a gravadora esperavam que Simple Creed fosse o carro-chefe do álbum, mas devido aos ataques terroristas de 11 de Setembro (Uma semana antes do álbum ser lançado), quem acabou se tornando o carro-chefe foi a melancólica Overcome, que recebeu boa atenção dos fãs e das rádios (Essa mesma música também foi usada no final da segunda temporada da série "The Shield - Acima da Lei"). Para a turnê, a banda se juntou ao Jane's Addiction para os shows nos EUA e Canadá. A banda também participou do Bayfest 2001 Festival, junto de 3 Doors Down, Lifehouse, The Calling, Cowboy Mouth e Stroke 9. A turnê também contou com a segunda passagem na Oceania (Que contou com o Powderfinger como banda de abertura).

Prosseguindo com mais shows nos EUA e Canadá no ano de 2002, a banda chega em 2003 produzindo mais um novo álbum. Com o produtor Jim Wirt, o álbum Birds Of Pray foi o último CD lançado pela Radioactive, dessa vez em Maio de 2003.


Live - Birds Of Pray (2003)
1. Heaven
2. She
3. The Sancticity Of Dreams
4. Run Away
5. Life Marches On
6. Like I Do
7. Sweet Release
8. Everytime I See Your Face
9. Lighthouse
10. River Town
11. Out To Dry
12. Bring The People Together
13. What Are We Fighting For?


O álbum, assim como o anterior, V, foi recebido de forma mista pelos críticos, com muitos dando pontos negativos as letras de Ed Kowalczyk desse álbum. Apesar disso, o álbum ganhou inesperado sucesso graças ao single Heaven (Que ficou na posição n° 59 da Billboard 200, o que não acontecia desde The Dolphin's Cry, de The Distance To Here). Outros singles lançados foram Sweet Release, What Are We Fighting For?, e Run Away. O álbum ficou na posição n° 28 das paradas norte-americanas. E foi durante a época de Birds Of Pray que a banda começou a encarar as primeiras intrigas devido a direção criativa do grupo, mas isso não impossibilitou do mesmo prosseguir na estrada, com vários shows nos EUA e Europa (Indo novamente para países que na qual eles nunca tinham visitado, como Noruega e Suécia). Outra nova turnê contou com os Live abrindo para o Bon Jovi. Em Setembro, a banda faz sua segunda aparição no Brasil, em São Paulo. Em Novembro, a banda visita pela primeira vez a África do Sul, seguido da terceira aparição na Austrália.

Prosseguindo com a turnê em 2004, como a banda resolveu não renovar o contrato com a Radioactive, a gravadora decidiu lançar uma coletânea contendo os hits da banda, chamado de Awake: The Best Of Live, em Novembro.


Live - Awake: The Best Of Live (2004)
1. Operation Spirit (The Tyranny Of Tradition)
2. The Beauty Of Gray
3. Selling The Drama
4. I Alone (New Edit)
5. Lightning Crashes
6. All Over You
7. We Deal In Dreams
8. Lakini's Juice (New Edit)
9. Turn My Head
10. The Dolphin's Cry (New Edit)
11. Run To The Water
12. They Stood Up For Love (Acoustic)
13. The Distance
14. Dance With You
15. Overcome
16. Nobody Knows
17. Heaven
18. Run Away (With Shelby Lynne)
19. I Walk The Line (Johnny Cash Cover)

Pegue aqui!

Sem gravadora, a banda não teve muita escolha senão continuar com a turnê até Maio de 2005, onde o quarteto assina contrato com a Epic Records e começam a produção de um novo álbum de estúdio. Novamente com Jim Wirt na produção, Songs From Black Mountain foi só lançado em Abril de 2006, pela Epic.


Live - Songs From Black Mountain (2006)
1. The River
2. Mystery
3. Get Ready
4. Show
5. Wings
6. Sofia
7. Love Shines (A Song From My Daughters About God)
8. Where Do We Go From Here?
9. Home
10. All I Need
11. You Are Not Alone
12. Night Of Nights


 Apesar de ter conseguido certo sucesso internacional (Principalmente na Europa), Songs From Black Mountain foi o álbum do Live que menos vendeu na carreira deles, ficando apenas na posição n° 52 da Billboard 200, mais as recepções mistas dos críticos, sendo a maioria não muito favorável. Apesar disso, gerou três singles: The River, Mystery e Wings. Para a turnê, a banda se juntou ao Nickelback para vários shows no Canadá e depois, outra turnê na Europa com o Iron & Wine como banda de abertura. A passagem na Europa também contou com a participação do quarteto no festival Nova Rock, na Áustria (Junto de Alice in Chains, Metallica, Guns N' Roses, Placebo, Queens Of The Stone Age e Avenged Sevenfold) e no Greenfield Festival na Suíça (Junto do Tool, Placebo, Depeche Mode e Apocalyptica).

Enquanto isso, na final da quinta temporada do American Idol, o cantor Chris Daughtry foi acusado por Ed e cia. de fazer uma performance da versão do Live do cover de I Walk The Line do Johnny Cash e alegar que era sua própria interpretação. Uma semana depois, Daughtry se desculpou, alegando que era verdade e que Live era uma de suas bandas favoritas.

Logo 2007 chega, e após mais algumas turnês, a banda lança sua primeira coletânea, chamada de Radiant Sea: A Collection Of Bootleg Rarities And Two New Songs em Setembro pela própria gravadora do grupo, a Action Front Records, o que não acontecia desde os primórdios da banda.


Live - Radiant Sea: A Collection Of Bootleg Rarities And Two New Songs (2007)
1. The Beauty Of Gray
2. Pillar Of Davidson
3. Shit Towne
4. I Alone
5. Lakini's Juice
6. The Distance
7. The Dolphin's Cry
8. Nobody Knows
9. Sweet Release
10. Overcome
11. Beautiful Invisible
12. Radiant Sea


Essa coletânea só está disponível nos shows e no site oficial da banda. Logo o quarteto prosseguiu com os shows durante 2007 e 2008, sendo um deles gravado e lançado em CD e DVD: Live At The Paradiso - Amsterdam. O álbum ao vivo foi lançado pela Vanguard Records em Novembro de 2008 e foi gravado meses antes em Amsterdam, na Holanda.

Live - Live At The Paradiso - Amsterdam (2008)
1. Simple Creed
2. All Over You
3. The River
4. The Dolphin's Cry
5. I Walk The Line
6. Selling The Drama
7. Lightning Crashes
8. Turn My Head
9. I Alone
10. Heaven
11. Lakini's Juice
12. Overcome
13. Operation Spirit
14. Dance With You
15. Forever
16. Purifier
17. They Stood Up For Love

 Pegue aqui!

Logo as turnês cessaram em 2009, após um concerto no Palazzo em Las Vegas, Nevada pois, a banda logo anunciou que ia entrar em um hiato que ia durar dois anos para que os integrantes se focassem em novos projetos. Ed Kowalczyk entrou em carreira solo enquanto que os integrantes restantes formaram uma nova banda chamada "The Gracious Few", junto com o guitarrista Sean Hennessy e o vocalista Kevin Martin, ambos do Candlebox.

Porém, meses depois, em Novembro, o guitarrista Chad Taylor revelou que o hiato provavelmente iria ser uma separação permanente devido ao vocalista Kowalczyk pedir um cachê bônus de 100.000 dólares para que o Live participasse do Pinkpop Festival daquele mesmo ano de 2009 e um contrato de 2005 fazendo com que o vocalista se tornasse o único dono da empresa "Black Coffee Publishing" (Que distribuía álbuns do Live lançados pela própria banda, como o EP Divided Mind, Divided Planet, o álbum The Death Of A Dictionary, ambos lançados sob o nome "Public Affection", além da coletânea Radiant Sea, lançado com o nome "Live"). Toda essa intriga mobilizou os fãs da banda a mandarem e-mails para os integrantes do grupo (Menos Kowalczyk) e mensagens para o blog pessoal de Chad Taylor, fazendo com que ele deixasse uma possibilidade de continuar com o Live, mas com um novo vocalista, o que foi confirmado em Junho de 2011. Em 2010, logo Taylor, Gracey e Dahlheimer abriram um processo contra Kowalczyk devido aos ocorridos em 2005 e 2009, que ainda percorre na justiça.

Retornando de quase três anos de hiato, o Live prosseguiu com as turnês junto de Chris Shinn, ex-vocalista do Unified Theory, fazendo a primeira performance na terra-natal da banda, York, Pennsylvania (Nessa ocasião, fazendo uma performance como um sexteto com Sean Hennessy na guitarra e Alexander Lefever nos teclados). Logo a banda prosseguiu de volta com as turnês e ainda prossegue até hoje com Shinn nos vocais. A turnê também conta com as bandas Filter, Everclear e Sponge. É bem provável que haja um novo álbum do Live, mas não se sabe ao certo quando os fãs o verão a luz do dia.

Um comentário: